Pesquisar este blog

domingo, 22 de outubro de 2017

Meu primeiro milhão

Inspirado neste vídeo da youtuber Nathalia Arcuri, resolvi enumerar os fatores que me levaram a esta marca simbólica, alcançada após 20 anos de trabalho, por volta dos 35 anos de idade. No final do post farei uma coleção de links para outros milionários.




Mercenário

Dos 20 aos 27 anos eu multipliquei meu salário cerca de 5 vezes. Não queria ficar na mesma empresa mais que 2 anos, ainda mais se sabia que o mercado estava pagando mais. Priorizei empregos que me agregassem conhecimento. Nos primeiros ganhava pouco mas aprendi coisas que valorizaram meu currículo. Era aprender algo, pegar alguma experiência, semear currículos, colher um novo emprego recebendo mais e repetir o ciclo. Depois desse período só ganhei aumento por promoção.

Frugalidade

Ao mesmo tempo que minha renda subia, meu padrão de vida continuava estável. Nessa época eu morava com meus pais e tinha poucas despesas. Fui de um Fusca a um Fiat Uno usado, chegando no topo que foi um Corsa 1.0 zero km e dali não passei. Nunca curti roupas e tênis de marca, tinha uma atitude punk anti-capitalista, era avesso a essas coisas tidas como coisas de playboy. Bem no começo meu salário mínimo nem dava pra comprar essas coisas. Eu juntava alguns meses e comprava um walkman, aparelho de som, CDs ou qualquer coisa que eu estivesse afim. Sempre odiei parcelar e fazer dívida.

Tempo

O componente mais poderoso para qualquer investimento foi primordial para mim. Como consegui passar numa faculdade pública não tinha gastos com mensalidade. Com a frugalidade e baixas despesas (só gastava com livros pra faculdade, gasolina e umas baladinhas de vez em quando) eu consegui guardar dinheiro desde os 20 anos mais ou menos. Imagine o tanto de juros compostos que eu ganhei em cima do que eu poupei ao optar por um carro usado ou popular quando eu tinha 25 anos.

Aportes

Viabilizados pela minha mentalidade mercenária e punk anti-consumista-destrua-o-sistema, feitos desde cedo e com regularidade, estes superaram até mesmo minha ignorância sobre investimentos. Grande parte do meu primeiro sabugo cresceu em poupança e fundos de investimento DI/RF do Itaú. Vejam só, de longe estes não foram os melhores investimentos ! Foi mais importante investir cedo e com regularidade, não importou tanto onde.

Conclusão

Eu nem sabia porque estava guardando essa grana. Vindo de uma família com poucos recursos, aprendi a viver com pouco e guardar dinheiro simplesmente porque ninguém sabia o dia de amanhã, não podia gastar tudo pois podia fazer falta no futuro. IF ? Nem em sonho no começo, só fiquei pensativo quando estava perto do sabugo (ui) mas logo deixei pra lá. Eu não tinha a menor idéia do conceito, muito menos que aquilo era viável pra um proletário como eu.

Espero que meu testemunho e o da Nathalia ajude os leitores em busca do sonhado milhão. Perseverança, gente !

Atualização - abaixo estarei colecionando links para outras pessoas que atingiram essa importante marca:

Diário do Pequeno Investidor

terça-feira, 3 de outubro de 2017

Balanço - Setembro/2017

Mês cansativo, marcado pela frustração com o trabalho e recordes da Bovespa. Pra mim é claro que não posso continuar a fazer um trabalho onde eu não tenha autonomia para decidir como faze-lo da melhor forma. A cultura corporativa me cansa. Penso em iniciar minha retirada dessa vida já no final do próximo ano, através de uma licença não-remunerada. Vamos ver.

Neste mês separei as carteiras de ações e FIIs. A planilha do AdP ficou muito louca pra apresentar o acumulado do ano, talvez eu tenha comido bola. Eu só peguei o valor dos FIIs ao final de agosto e joguei em setembro como retirada da carteira antiga e aporte na carteira nova, somente com FIIs. Sei lá, dane-se.

2 CDBs que venceram este mês (um deles pré a 17,50% - bons tempos :) foram reinvestidos em FIIs, ações, ouro, fundo de ações e TD Pré 2023. Ainda sobrou um restinho pra reinvestir em renda variável - ordens estão prontinhas na corretora.

Desempenho do mês:
  • Taxa de poupança ( (receitas - despesas) / receitas) de acordo com o GuiaBolso: 85%
    • No fim do mes recebi férias, 1/3 e o cacete, entao essa taxa e a do proximo mês (quando nao receberei praticamente nada) ficam distorcidas.
  • Renda passiva de FIIs e ações: 1379,86
  • Rendimento global da carteira: 1,19% - Legal ! Acumulado de 2017: 9,33%
    • Previdencia Privada: 0,8% - ok
    • Tesouro direto: 0,94% - bom
    • RF (Titulos privados): 0,77% - ok
    • Fundos: 1,04% - bom
    • FGTS: 0,29% - sem comentários 
    • Ações: 5,93% - sabia que tava subindo pra caramba... POMO3 com 17% foi a maior alta, ELPL4 com -19% a maior baixa
    • FIIs: -0,45% - no começo era meu orgulho, agora virou uma bela porcaria
    • USD: 2,68% - oba
    • EUR: -0,01 - choveu no molhado
    • Stock plan: 13,27% - enfim compraram na baixa e subiu
Todas rentabilidades acima sao líquidas. Já está descontado IR e taxas para se desfazer dos ativos. Para ativos no exterior considerei um ágio de 5% no câmbio se quisesse trazer tudo pra cá, mais multas e impostos. 

Indicadores do mês:
CDI 0,64% - bati outra vez ! No ano acumula 8,14% 
IPCA estimado: 0,12% - ganhei fácil; no ano acumula 1,74%
Poupança: 0,5% - melhor que meus FIIs; no ano acumula 4,69%

Alocação atual:

Brasil
Exterior
Fundos Prev Privada FGTS RF TD FII Ações Stock Plan EUR USD

24,1% 10,7% 5,7% 15,0% 22,7% 8,8% 4,4% 1,9% 4,1% 2,7%

Nos próximos dias estarei tirando merecidas férias. Quero muito espairecer e retornar com novo fôlego pois tenho estado com a cabeça muito ruim, cansado e confuso também com a perspectiva de atingir a IF e o que virá depois. Pareço um cara que se descobriu homossexual e não sabe como contar pra família, não sabe como sair do armário. É assim que me sinto.

Quero virar vagabundo ! Mas não conto pra ninguém...