Pesquisar este blog

sábado, 16 de janeiro de 2021

Planos para 2021

Hora de parar um pouco pra pensar pra onde estou indo e onde quero estar. 

Retrospectiva

Vou começar dando uma olhada no retrovisor. Abaixo uma revisão geral dos últimos 4 anos, comparando a rentabilidade dos meus diversos investimentos.



Ativo2017201820192020      TOTAL
RFTD8,1912,5216,265,6942,66

RF19,578,425,84,6938,48

FGTS3,392,745,835,117,06

Colchão
2,677,032,1111,81


RVAções156,5413,18-6,2528,47

DY Ações0,814,082,872,9110,67

TOTAL Ações15,8110,6216,05-3,3439,14

FIIs7,52-0,5128,27-13,3121,97

DY FIIs6,869,596,478,3731,29

TOTAL FIIs14,389,0834,74-4,9453,26

USD13,089,3828,5549,81100,82

EUR11,011,939,7235,6958,35


MistoFundos9,719,5810,15,935,29

Prev Privada8,856,799,722,9628,32

As tendencias que vejo:
1 - RF caindo ano a ano
2 - RV apesar da volatilidade deve superar a renda fixa nos próximos anos; FIIs já o fizeram
3 - Investimentos no exterior salvaram a pátria
4 - Fundos apesar do maldito come-cotas tem tido rendimento decente sem que eu tenha que esquentar a cabeça

Nestes 4 anos 36% do patrimônio acumulado foram aportes, enquanto 64% foram rendimentos.

Investimentos


Atualmente tenho 19% em Ações e FIIs. Só vou vender pra tentar simplificar a carteira, deixando-a crescer até uns 21% em princípio. Consequentemente haverá uma diminuição da participação em RF.

Estou querendo estudar a estratégia de venda coberta de ações pra tentar melhorar a rentabilidade sem correr muito risco.

Em março vence uma cacetada de Tesouro SELIC e não vou reaplicar. Na hora H devo espalhar em TD IPCA, CDBs, renda variável e sei lá mais o que. Tem o ETF de renda fixa também. Até lá vou continuar aportando quaisquer proventos em FIIs, especialmente RBRF11 e BPFF11, e em ETFs no exterior.

Gostaria muito de gastar menos tempo administrando meus investimentos. Tenho que me controlar porque vira e mexe caem uns dividendos e eu já fico louco pra não deixar parado. Vou estar de olho em todo tipo de ETF, Fundo de FIIs e multimercados. Daqui uns dias é hora de declarar IR e outra vez é aquela encheção de saco preenchendo dezenas de ativos. Ter poucos ativos que sejam diversificados vai me fazer dormir melhor e aproveitar mais a vida. Estou cogitando botar uma meta de diminuir um ativo por mês pelo menos.

Despesas


Tenho pronto meu orçamento para 2021. Recalculei minha TNRP, que subiu de 3,03% para 3,36%. Consequência do fraco desempenho de 2020 aliado a um aumento de despesas causado pela desvalorização do real e mudança para um apartamento mais caro. O primeiro não estava nos planos, já o segundo foi decisão minha e não me arrependo pois fez diferença no dia a dia.

Outra métrica interessante é a taxa de retirada (não confundir com TSR). Para 2020 eu havia calculado em 2,6% e agora vai subir para 3,1%, pelos mesmos motivos que a TNRP subiu. Esta taxa é retirada mesmo (venda de ativos), calculada somente sobre meus investimentos financeiros (imóvel fica de fora). Supondo que eu não ganhasse nada de dividendos e tivesse que me sustentar somente com venda de ativos, esta taxa seria 4,2%. É o máximo que eu aguento sem ter que tocar no principal do investimento.

Dá pra perceber como a coisa piorou. Com um patrimônio praticamente igual ao do ano anterior (subiu só 1%) vou precisar fazer retiradas maiores.

Renda


Provavelmente vou terminar meu sabático. Estou apalavrado com uma empresa mas eles tem que resolver umas burocracias antes de me contratar. Não assinei nada ainda então no fim tudo pode mudar. Mas seria bacana porque no fim das contas eu não tenho mesmo tempo pra fazer tudo que quero, então agora prefiro usá-lo para ganhar algum dinheiro. Depois de 600 dias fora do mercado eu realmente me sinto novo e aberto pra encarar outra vez reuniões, projetos, chefes e clientes sem noção, pelos menos por algum tempo. Um dinheirinho pra solidificar o próximo sabático. Esse negócio de ser vagabundo é tão bom que quero fazer de novo. Vou fingir que visto a camisa e trabalhar uns 2 anos pra chutar o balde outra vez.

Ainda sobre ganhar dinheiro, vou tentar parar de ler sobre o assunto e finalmente lançar alguns negócios na internet. Já tenho um meio adiantando, relacionado com música, que será o primeiro. Em seguida vou tentar algo com Merch by Amazon. E assim por diante, vou experimentando um de cada vez.

Conclusão


2020 nos mostrou que a vida é o que acontece enquanto a gente faz planos. Quem poderia imaginar há um ano atrás que estaríamos desse jeito. Mas enfim, dadas as atuais condições, fica registrado o que eu imagino para 2021.

E vocês leitores, estão se planejando ou vão deixar a vida levá-los pra onde ela quiser ?


quarta-feira, 6 de janeiro de 2021

Balanço - Dezembro/2020


Acabou !

Foi um ano implacável que não deixa saudades. Gente do meu círculo social perdeu dinheiro, emprego, entes queridos e até a própria vida.

Eu engordei 3 quilos com a quarentena. Não dá pra ficar correndo por aí de máscara. Começaram a vacinar mas ainda temos um longo caminho... Eu tenho alguns amigos super encanados já falando que vacina nenhuma é 100%, que portanto esse pesadelo vai durar ainda mais. Uma hora vamos ter que dar uma de louco e simplesmente conviver com o problema, porque no longo prazo esse isolamento não tem como ser mantido. As pessoas querem viver, sair, se abraçar, se socializar.

Desempenho da carteira


Todas rentabilidades abaixo são líquidas, com exceção de previdência privada. Já está descontado IR e taxas para se desfazer dos ativos. Para ativos no exterior considerei um ágio de 5% no câmbio se quisesse trazer tudo pro Brasil, mais multas e impostos.

Tesouro direto (Pré-fixado, IPCA, Selic): 5,7%
Meus títulos tiveram valorização recorde !

Renda Fixa (CDB, LCx): 0,5%
Ótimo !

Fundos: 4,3%
Mês excepcional ! Fiz uns rebalanceamentos pra equilibrar a carteira e espero que vá pra frente !

FGTS: 0,25%
Devagar e sempre.

Ações: 7,4%
Subiu bem ! Zerei IRBR3 pra nunca mais e joguei mais um pouquinho pra DIVO11. ODPV3 subiu 18% enquanto HGTX3 caiu 4,5%

FIIs: 0,8%; DY do mês ficou em 0,58% 
Entrei nas subscrições do GGRC11, RBED11 e BCRI11. Entrei nos FoFs BPFF11 e RBRF11. Vamos ver se vinga.

EUR: 0,4%
Muito bom !

USD: 0,8%
Excelente !


Veja detalhes atualizados sobre a carteira no meu Painel de Controle.

Outros ativos


Colchão de segurança: 0,26%
Não sei como foi tão bem !

Bombou !

Resultado do mês


Rendimento global da carteira: 2,8% - Excelente ! Fechando o ano com 6%
Rendimento real nos últimos 12 meses: 1,6%
Taxa de retirada nos últimos 12 meses: 2,4% - dentro da meta

Indicadores do mês:

CDI: 0,16%; no ano 2,77%
IPCA: 1,35%; no ano fechou em 4,52%
Poupança: 0,12%; no ano 2,11%

Como já passei de 1 ano de vagabundagem posso mostrar a taxa de retirada anual, que é mais fácil de entender e acompanhar. Esta taxa 2,4% é a divisão de todas as despesas dos últimos 12 meses, menos renda passiva (cupons de tesouro, dividendos de FIIs e ações), pelo valor da carteira 1 ano atrás. Ou seja, é retirada mesmo (venda de ativos).

Para 2020 eu estava planejando uma taxa de retirada por volta de 2,6% ao ano no máximo. Esta taxa foi calculada em cima da carteira do início do ano, já descontando uma estimativa de dividendos a receber. Não considero renda de aluguel nem meu imóvel nessas contas.

Resumão do ano


Encerro esse ano tão difícil com o patrimônio em seu topo histórico. Desde quando chutei o balde o patrimônio cresceu 4,5%, sendo 1% em 2020. Aos trancos e barrancos a carteira superou a inflação que vem galopando nos últimos meses. E mais um ano onde minha carteira de ações com excelentes empresas não conseguiu superar um índice onde metade das empresas estão quebradas ou nas mãos de políticos ou empresários corruptos.

Melhores investimentos do ano: USD 49,8%, EUR 35,7%, Tesouro Direto 5,7%
Piores investimentos do ano: FIIs -4,9%, Ações -3,3%, RF 4,7%

Despesas foram pagas com os seguintes recursos:
    • Dividendos de FIIs: 27%
    • Dividendos de Ações: 4%
    • Cupons do Tesouro Direto: 2%
    • Aluguel: 26%
    • Rendas não-recorrentes (diferença de rescisão e restituição de IR): 33%
Os 8% restantes, não cobertos por esses recursos, resultaram numa taxa efetiva de retirada de 0,15% sobre todo o patrimônio (imóvel + investimentos).

Se por uma lado as despesas aumentaram, por outro elas diminuíram à força por causa dos sucessivos confinamentos e restrições à mobilidade.

Próximos passos


Não vou detalhar aqui pro post não ficar muito longo. Explico com mais calma nos próximos dias. No curto prazo a carteira está bem equilibrada, demandando poucos ajustes.

Que todos tenhamos um ano novo com muito sucesso, saúde e liberdade !