Pesquisar este blog

segunda-feira, 3 de junho de 2019

Declaro independência financeira ! Balanço - Maio/2019


E chegou o momento...

30 anos de trabalho e aqui estou eu fora do mundo corporativo. Não é fácil se livrar das algemas de ouro. Deixar pra trás aqueles benefícios, colegas, aquela segurança... Na hora H é complicado, fiquei meio sem acreditar no que estava fazendo. Sem questionar muito só executei o plano que já estava traçado, me agarrando à decisão que já estava tomada.


Muitas planilhas depois, chegou a hora da IF. Me junto aos colegas blogueiros brazucas Sr. IF365, Viagem Lenta, Corey, Pensamentos Financeiros e Conhecimentos Financeiro. Dessa turma eu, o Pensamentos Financeiros e o Viagem Lenta tem filhos.


Penso nos top bloggers mundiais, que chegaram lá partindo do zero em menos de 10 anos. MMM, Millenial Revolution, Root of Good, Viver de Renda... como foi possível ?! Não importa agora. Demorei o triplo mas cheguei lá !


Na carteira o grande acontecimento foi o vencimento dos títulos do tesouro. Com as taxas atuais não tive coragem de reaplicar nem metade. Espalhei pra renda variável, CDBs, moeda estrangeira e fundo de debêntures, mantendo uma parte em CDB de liquidez diária pra futuras oportunidades.


E foi assim:

  • Tesouro direto (Pré-fixado, IPCA, Selic): 4,38% - alta valorização do TD IPCA causada por quedas sucessivas nas taxas
  • FGTS: 0,24% - a mesma merda de sempre
  • Ações: -0,03% - choveu no molhado e como sempre minha carteira de excelentes empresas não supera o IBOV, índice onde metade das empresas estão quebradas ou sob controle de políticos corruptos
  • FIIs: 2,26% - mais um mês voando
  • EUR: -2,31% - queda nas bolsas do primeiro mundo
  • USD: -4,59% - mês negro para o Tio Sam
  • Stock plan: -2,34% - queda na ação 

Alocação atual:
Renda FixaRenda VariávelMulti mercado
40%31%29%

Outros ativos:
  • Colchão de segurança (Tesouro SELIC, Fundo DI): 0,43% - normal
  • Previdência Privada: 1,29% - muito bom  
Concluindo:
  • Rendimento global da carteira: 0,86% - bom; no ano acumulo 5,58%
  • Taxa de poupança ( (receitas - despesas) / receitas) de acordo com o GuiaBolso: 4% - gastei pra cacete

Todas rentabilidades acima são líquidas, com exceção de previdência privada. Já está descontado IR e taxas para se desfazer dos ativos. Para ativos no exterior considerei um ágio de 5% no câmbio se quisesse trazer tudo pra cá, mais multas e impostos.

Indicadores do mês:
  • CDI: 0,52%; no ano acumula 2,62%
  • IPCA: 0,13%; no ano 2,22%
  • Poupança: 0,37%; no ano 1,87%

Próximos passos

Nos investimentos, TD IPCA a menos de 4% não dá mais. Na dúvida acho que vou aumentar a posição em FIIs e IVVB11.

Não me considero ainda aposentado. Vou sim para um sabático por tempo indeterminado... 1 ano, 2, 10... não sei. Chegar aqui não foi fácil e o novo desafio não é moleza também - manter-se lá.

Vou dar uma viajada e resolver umas coisas. Volto no início do próximo mês com mais um fechamento - o primeiro na vida IF.


Virei vagabundo !!!


PS: maldito blogger

quinta-feira, 2 de maio de 2019

Balanço - Abril/2019


Tive mais um mês difícil na Bolsa. O mico da vez foi a Grendene, que derreteu depois de um resultado ruim no primeiro trimestre. Nunca subiu muito e agora virou mico. Será que recupera ? Vamos esperar, não tem muito o que fazer.

Na arena de FIIs aproveitei uma subida inexplicável pra desovar as últimas cotas do mico FAMB11B. Monoinquilino nunca mais ! Também fiz a subscrição do MXRF11.

Vamos aos números:
  • FGTS: 0,24% - a mesma merda de sempre
  • Ações: 0,23% - até que enfim não fiquei no preju !
  • FIIs: 1,77% - excelente ! Destaque para AEFI11 com alta de 7%
  • EUR: 1,68% - leve alta
  • USD: 3,9% - festa na bolsa americana
  • Stock plan: 22% - bombou ! 

Alocação atual:
Renda FixaRenda VariávelMulti mercado
41%31%28%

Outros ativos:
  • Colchão de segurança (Tesouro SELIC, Fundo DI):  0,46% - razoável
Concluindo:
  • Rendimento global da carteira:  1,27% - excelente; no ano acumulo 4,7%
  • Taxa de poupança ( (receitas - despesas) / receitas) de acordo com o GuiaBolso: 65%
Todas rentabilidades acima são líquidas, com exceção de previdência privada. Já está descontado IR e taxas para se desfazer dos ativos. Para ativos no exterior considerei um ágio de 5% no câmbio se quisesse trazer tudo pra cá, mais multas e impostos.

Indicadores do mês:
  • CDI: 0,52%; no ano acumula 2,06%
  • IPCA: 0,55%; no ano 2,07%, superando levemente o CDI
  • Poupança: 0,37%; no ano 1,49%, perdendo pra inflação

Próximos passos

Os próximos aportes vão pra FIIs, GOVE11 e Tesouro Direto. Tenho uma montanha de títulos vencendo esse mês. Em 2015, 2019 parecia tão distante... assim como o conceito de IF eu desconhecia totalmente.

E a IF está batendo na porta. Nem sei se comemoro. Digo isso porque enquanto a IF é certa, a AP (aposentadoria precoce) nem tanto. Fato é que decidi me arriscar justamente nos primeiros anos de IF, que são os mais críticos. O risco é a variação cambial - gastar em euros tendo a maioria das reservas em real. Pra equilibrar talvez eu trabalhe ainda mais uns 2 anos. Talvez.

Faltam 29 dias.

domingo, 14 de abril de 2019

De calças arriadas: investimentos no exterior


Essa modalidade tão querida na blogosfera... investir no exterior, onde as coisas funcionam, longe da bandalheira deste país subdesenvolvido, corrupto e sempre em risco de se tornar a próxima Venezuela...

Particularmente não tenho uma visão tão pessimista. Se não fosse a vida que tivesse me levado pelo mundo afora acho que minha diversificação no exterior seria só IVVB11 e alguns dólares debaixo do colchão. O problema que vejo são impostos. EUA cobram 30% (1/3 dos seus dividendos vão pro ralo), Europa vai de 20 a 25% dependendo do país... os juros já são baixos e ainda por cima o governo guloso dá essa mordida. Sem falar nas taxas pra transferir o dinheiro pra lá.

Mais fácil chegar na IF aqui que nesses países, pelo menos na minha experiência.

De todo jeito, acho sim que vale a pena diversificar, nem tanto como investimento e sim mais como proteção a partir de um certo patrimônio. Acho que a partir de 500 mil investido vale a pena pensar em formas de desatrelar sua rentabilidade da volátil economia brazuca e sua frágil moeda. Menos que isso acho que vale mais a pena investir por aqui mesmo, deixar os juros compostos fazerem seu trabalho por algum tempo até ter uma quantia mais substancial. Mas enfim, cada um sabe onde dói o calo.

Antes de conhecer o mundo FIRE eu pensava em trazer esses recursos pra cá e aplicá-los em qualquer coisa que rendesse mais. Depois entendi o papel que essa grana podia ter na minha carteira: proteção no longo prazo e seguro contra uma eventual venezuelização.


A evolução da minha história como investidor foi assim (clique nos títulos para ir ao post com mais detalhes):

1.     Poupança (não tenho mais)
3.     Investimentos no exterior
4.     Ações
5.     Títulos privados - CDB, LCx (LC, LCA, LCI)
6.     Títulos públicos
8.     FIIs

Nesse momento tenho 13% da carteira atrelado a ativos no exterior. Minha meta era 10% mas fiz umas revisões e agora é 14%.

Vamos abrir a carteira.

Dólar

Estes ativos são parte de uma previdência privada que eu tive numa temporada que passei na terra do tio Sam. Quero fazer uns ajustes em breve.


Fundo Alocação atual Alvo Tipo Expense ratio 3 anos 5 anos
Vanguard Extended Market Index Fund Institutional Plus Shares 13.12% 20,00% Mid e small caps 0,050% 45,54% 46,25%
Vanguard Institutional 500 Index Trust 23.94% 40,00% S&P500 0,015% 46,25% 67,81%
Vanguard Institutional Total Bond Market Index Trust 13.47% 20,00% Títulos do tesouro americano e de empresas 0,028% 6,27% 2,73%
Vanguard Wellington Fund Admiral Shares 49,47% 20,00% Multimercado 0,17% 31,44% 44,02%

Fora isso mantenho uma graninha em IVVB11, ETF negociado na B3 que segue a bolsa americana.


Juntando tudo dá 5% da carteira.


Euro

Resquícios de alguns anos de trabalho no velho continente. 


Fundo Alocação atual Tipo Expense ratio 5 anos 3 anos
ARERO-DER WELTFONDS INH. (LU0360863863) 32,3% Multimercado 0,50% 33,9% 26,8%
CS.-STX.EU.600 NR U.ETF I (LU0378434582) 33,7% ETF - 600 maiores empresas da Europa 0,20% 31,6% 26,8%
ISHS CORE DAX UCITS ETF (DE0005933931) 34,0% ETF - Bolsa da Alemanha 0,16% 26,8% 22,8%

Ainda tenho ações via Stock Plan. Ganho 40% de desconto para comprar as ações da empresa direto em uma das maiores bolsas da Europa. Como a chance da ação cair 40% antes de eu vendê-la é praticamente nula, é lucro certo. Infelizmente existe limite no valor que posso investir, senão eu poria meu salário inteiro nesse lance.

Juntando tudo de euro, dá 8% da carteira.

Conclusão

Só pra fazer uma comparação besta, o CDI nos últimos 3 anos rendeu 31%... Acho que foi bom não ter tirado essa grana de lá.

Tem que manter isso. Essa grana terá papel importante no começo da minha IF...

Faltam 47 dias.

terça-feira, 2 de abril de 2019

Balanço - Março/2019


Mais um trimestre vencido... IF cada vez mais perto... muita calma nessa hora... nervos de aço e sangue de barata - é tudo que eu quero nesse momento.

Terminei de ler "Trabalhe 4 horas por semana" do polêmico Tim Ferris, pra mim o precursor dos Nômades Digitais. É um livro que complementa a filosofia FIRE mas ao mesmo tempo vai contra ela em alguns momentos. No geral os momentos bacanas valem o livro. Porque o mundo corporativo é uma merda e porque se aposentar aos 65 é uma péssima idéia pra mim são os destaques. Ele descreve o jeito que ele chegou lá, porém naufraga ao querer vender a idéia de que qualquer um pode fazer o mesmo, DO MESMO JEITO. Fica a idéia de gerar renda passiva através de algum negócio na Internet, um tema que me interessa bastante.

Sem mais delongas, vamos aos números:
  • FGTS: 0,24% - a mesma merda de sempre
  • Ações: -4,54% - não sei o que acontece. Esse mês foram KLBN3 e LAME4 que enterraram a carteira caindo uns 17%
  • FIIs: 2,15% - ao contrário das ações, só alegria ! Maior alta foi ABCP11 com 8%
  • EUR: 3,1% - euro em leve alta
  • USD: 5,5% - dólar em leve alta
  • Stock plan: 13% - alta da ação e do euro 

Alocação atual:
Renda FixaRenda VariávelMulti mercado
41%30%29%

Outros ativos:
  • Colchão de segurança (Tesouro SELIC, Fundo DI): 0,44% - tranquilo
Concluindo:
  • Rendimento global da carteira: 0,94% - ótimo; no ano acumulo 3,42%
  • Taxa de poupança ( (receitas - despesas) / receitas) de acordo com o GuiaBolso: 88% (recebi um bônus, distorceu esse número)
Todas rentabilidades acima são líquidas, com exceção de previdência privada. Já está descontado IR e taxas para se desfazer dos ativos. Para ativos no exterior considerei um ágio de 5% no câmbio se quisesse trazer tudo pra cá, mais multas e impostos.

Indicadores do mês:
  • CDI: 0,47%; no ano acumula 1,54%
  • IPCA: 0,75%; no ano 1,51%
  • Poupança: 0,37%; no ano 1,12%
Mais uma vez feliz por ter superado os 3.

Melhor investimento do trimestre foi Stock Plan com 18%, já o pior foram Ações com -0,07%. Depois de um começo tão promissor foi tudo pro ralo.

Próximos passos

Os próximos aportes vão pra FIIs, GOVE11 e Tesouro Direto. 

Por volta da páscoa vou tirar umas férias e tentar me desconectar um pouco. Nos últimos dias passo o dia inteiro na trabalhando na frente do computador e à noite volto pro computador pra preencher imposto de renda, blogar, registrar investimentos do dia e pesquisar detalhes da minha próxima aventura...

Meu sabático vai se tornando cada dia mais real. Quando estiver mais definido vou fazer um post contando qual será essa próxima aventura.

Eu me sinto extremamente privilegiado por ter a oportunidade de estar no caminho da IF. Não é pra qualquer um. Mesmo que oferecida a oportunidade, ela não atrai muita gente. Muitos que se sentem atraídos por ela vão cair no meio do caminho por falta de disciplina ou de dinheiro mesmo.

O tempo está voando.

Faltam 59 dias.

segunda-feira, 18 de março de 2019

Trilha sonora da IF

E aí, gente ?

Estou super ocupado com imposto de renda, juntando aquele monte de papelzinho falando que ganhei uns trocados dessa e daquela ação e tal, e pra não deixar o blog abandonado vou rapidinho por no ar a minha trilha sonora da IF.

Aumenta o som !!!

Já estive lá e vi que não é pra mim.



Acham que vou ficar nessa merda até o fim ? Vou dar um rolê !


Lá fora há muita riqueza esperando por mim.


Temos pouquíssimo tempo para nossos sonhos.



Deixa eu dormir...



Quero sossego...



Não posso buscar uma vida que não se alinhe com meu coração.


Quais músicas te inspiram e te remetem ao sonho da IF ? Compartilha aí !

Faltam 74 dias.

quarta-feira, 6 de março de 2019

Balanço - Fevereiro/2019


ô skindô...

Que nada, eu sou dos que odeiam carnaval. Na verdade eu gosto é de "pular" o carnaval, passar em branco sem ver nada do assunto, se possível longe da baderna.

Nos blogs que eu sigo saíram umas coisinhas interessantes esse mês:

- os americanos vão fazer 2 convenções essse ano, uma em Porto, Portugal e outra no interior da Inglaterra. Uma mais cara que a outra. Ali é ostentação total. Ingresso mais barato era 3000 dólares pra uma semana, cobrindo somente hospedagem e participação no evento com os blogueiros mais badalados do momento. Detalhe: esgotado.
- Millenial Revolution e ERN estão quase saindo no tapa sobre a questão de usar ou não ativos que rendem altos dividendos (porém são mais voláteis) para resolver ou diminuir o problema de fazer retiradas durante um bear market.

Enquanto isso sigo no meu esforço às vezes hercúleo de tolerar meu trabalho. Na verdade nem gosto de pensar muito... tenho tentado de todos os modos permanecer em piloto automático.

E assim foi fevereiro/2019:
  • FGTS: 0,24% - a mesma merda de sempre
  • Ações: -3,81% -  pra variar perdi pro lixo Ibovespa; KLBN3 caiu 10%, MPLU3 (sim, ainda tenho essa merda) subiu 3,8% (vai entender)
  • FIIs: 4,94% - arrebentei ! Continuo uma heróica recuperação. O recém adicionado HGBS11 subiu 9%, enquanto a gangorra FAMB11B caiu 6%.
  • EUR: 4,2% - euro em leve alta
  • USD: 5,6% - dólar em leve alta
  • Stock plan: 7,1% - alta da ação e do euro 

Alocação atual:
Renda FixaRenda VariávelMulti mercado
42%29%29%

Outros ativos:
  • Colchão de segurança (Tesouro SELIC, Fundo DI): 0,41% - beleza
Concluindo:
  • Rendimento global da carteira: 1,18% - excelente
  • Taxa de poupança ( (receitas - despesas) / receitas) de acordo com o GuiaBolso: 18%
Todas rentabilidades acima são líquidas, com exceção de previdência privada. Já está descontado IR e taxas para se desfazer dos ativos. Para ativos no exterior considerei um ágio de 5% no câmbio se quisesse trazer tudo pra cá, mais multas e impostos.

Indicadores do mês:
  • CDI: 0,49%
  • IPCA:  0,43%
  • Poupança:  0,37%
Mais uma vez feliz por ter superado os 3.

Próximos passos

Já falei pro meu chefe que quero um sabático. Coitado quase caiu da cadeira. Estamos trabalhando nos detalhes. Depois que pedi um sabático senti um grande alívio, como um peso que foi embora das minhas costas. Me sinto mais confiante pra seguir adiante com a revolução IF.

Os próximos aportes vão pra FII, ações e Tesouro Direto. Diante do declínio da renda fixa decidi aumentar um pouquinho minha alocação em renda variável.

A hora está chegando.

Faltam 86 dias.

sábado, 16 de fevereiro de 2019

Preparação para o crash




Já se vão mais de 10 anos desde o último derretimento global dos mercados. Aquele evento me marcou muito. Empresas quebraram e as que ficaram em pé pararam de investir num momento em que eu buscava uma colocação melhor no mercado. Estava no trabalho que eu mais odiei e não pude sair, não tinha pra onde ir e não tinha idéia de que existia algo chamado FIRE pra me consolar. 


Uma hora a festa vai acabar, gente. Quando ? Ninguém sabe, mas um dia a casa cai. E como vamos ficar ? Com essa pergunta na cabeça eu, como bom viciado em planilhas, voltei no tempo atrás de números e simulei o tamanho do tombo que minha estratégia levaria se uma crise daquela proporção acontecesse hoje. Vamos lá:

Iniciou 2008 em 11,25%, terminou em 12,75% (fonte).

Estando agora em 6,50%, vou chutar que chega a 8%; descontando 15% de IR fico com 6,8% de SELIC líquida e, pra simplificar, também CDI.

Tesouro IPCA e FIIs
Aqui dei sorte na pesquisa pois nosso colega Investidor de Risco já fez o trabalho pesado:

"Por exemplo no período entre mai/2007 e ago/2008 os juros das NTN-B's 2035 foram de uma mínima de 5,88% + IPCA a uma máxima de 8,82% + IPCA e os títulos desvalorizaram -20,6%. Neste período não havia sido criado o IFIX o que prejudica a comparação. Mas avaliando alguns FII's mais antigos temos para o mesmo período:

EURO11: +14,48% (Logística)
FFCI11: +10,34% (Corporativo)
SHPH11: +9,09% (Shoppings)"

Vou considerar uma queda de 20% no TD e também debêntures. Pra FIIs vou ser pessimista. Vou supor que as cotações e rendas vão pra vala, caindo 10%.


Clique no título para ver o graficozinho maroto que já mata 2 coelhos com uma paulada só.

IBovespa caiu 41% em 2008.

Escolhi apenas um fundo multimercado pra simplificar. O rendimento dele foi 47% do CDI. Considerando os 8% estimados acima, menos 15% de imposto, teríamos 3,2%.


Plano 1: 91% CDI = 6,2%.
Plano 2: -23% CDI = -1,6%.


Jogando cada um como 50% do portfólio, temos um rendimento de -2,3%.

Dólar
Esse artigo da época relembra a alta de 32% na moeda dos EUA. Com aquele crash passei a acompanhar meu patrimônio com um pouco mais atenção: uma vez ao ano :)
Anotações da época escavadas do meu HD:

2007 – 1,77
2008 – 2,34
S&P500: -38.49%


Somando +32% do cambio com -38,49% da bolsa eu teria uma queda de 6,49%.

Ouro
O mesmo artigo linkado acima cita uma alta de 20% em 2008.


Euro
A variação no cambio foi:


2007 – 2,61
2008 – 3,24

Ou seja, +24%.


DAX despencou 40% (olha o tamanho da cacetada no índice da bolsa da Alemanha). Atualmente tenho uns 40% em cash e 60% em ETFs. Resultaria então numa queda de 14,4% na parte Euro da carteira.


Anotei na época que o que eu tinha de investimentos em euro caiu 25% de 2007 a 2008 enquanto meu patrimônio em dólar caiu 13%. Foram tempos negros, meus amigos.

E agora ?



Agora pego essas projeções e aplico na estratégia de alocação de ativos apresentada anteriormente:


Ativo Alocação Alvo Valor Rendimento Resultado Saldo
Tesouro Direto 30% 750.000 -20% -150.000 600.000
LC*, CDB 15% 375.000 6,8% 25.500 400.500
Debêntures 5% 125.000 -20,0% -25.000 100.000
Ações 5% 125.000 -41% -51.250 73.750
FIIs 10% 250.000 -10% -25.000 225.000
EUR 6% 150.000 -14,4% -21.600 128.400
USD 4% 100.000 -6,5% -6.490 93.510
Ouro 5% 125.000 20% 25.000 150.000
Fundos MM 20% 500.000 3,2% 16.000 516.000
Prev Privada
354.000 -2,3% -8.142 345.858
Apto
750.000 -2% -15.000 735.000
SELIC
232.000 6,8% 15.776 247.776








Patrimônio alvo TOTAL 100,00% 3.836.000 -5,74% -220.206 3.615.794
Em Dinheiro
3.086.000 -6,65% -205.206 2.880.794
AA
2.500.000 -8,51% -212.840 2.287.160

Andei fazendo uns ajustes nessa estratégia, mas vou deixar pra comentar num futuro post. Por enquanto deixemos assim. Deixei de fora a reserva imediata, a ser usada no dia-a-dia, equivalente a um ano de despesas.

Enfim, eu teria uma redução de patrimônio de cerca de 6%. É ruim mas não seria o fim do mundo... Como eu sei ? Pego o resultado (2.287.160) e jogo de volta na planilha, no lugar do valor original (2.500.000). Se na aba "Renda passiva por plano" aparecer uma renda mensal que cubra o valor de despesas ali informado, jóia ! Posso continuar a ser vagabundo ! Nesse exemplo dá certo ! :-)


Fica AQUI a planilha pra quem quiser brincar.


E você ? Está preparado para a queda ??




Faltam 104 dias.

PS: vou migrar o blog pra outra plataforma. Não aguento mais essa zona que ele faz com os espaços e tamanho das letras. Recomendações ?