Pesquisar este blog

sábado, 16 de fevereiro de 2019

Preparação para o crash




Já se vão mais de 10 anos desde o último derretimento global dos mercados. Aquele evento me marcou muito. Empresas quebraram e as que ficaram em pé pararam de investir num momento em que eu buscava uma colocação melhor no mercado. Estava no trabalho que eu mais odiei e não pude sair, não tinha pra onde ir e não tinha idéia de que existia algo chamado FIRE pra me consolar. 


Uma hora a festa vai acabar, gente. Quando ? Ninguém sabe, mas um dia a casa cai. E como vamos ficar ? Com essa pergunta na cabeça eu, como bom viciado em planilhas, voltei no tempo atrás de números e simulei o tamanho do tombo que minha estratégia levaria se uma crise daquela proporção acontecesse hoje. Vamos lá:

Iniciou 2008 em 11,25%, terminou em 12,75% (fonte).

Estando agora em 6,50%, vou chutar que chega a 8%; descontando 15% de IR fico com 6,8% de SELIC líquida e, pra simplificar, também CDI.

Tesouro IPCA e FIIs
Aqui dei sorte na pesquisa pois nosso colega Investidor de Risco já fez o trabalho pesado:

"Por exemplo no período entre mai/2007 e ago/2008 os juros das NTN-B's 2035 foram de uma mínima de 5,88% + IPCA a uma máxima de 8,82% + IPCA e os títulos desvalorizaram -20,6%. Neste período não havia sido criado o IFIX o que prejudica a comparação. Mas avaliando alguns FII's mais antigos temos para o mesmo período:

EURO11: +14,48% (Logística)
FFCI11: +10,34% (Corporativo)
SHPH11: +9,09% (Shoppings)"

Vou considerar uma queda de 20% no TD e também debêntures. Pra FIIs vou ser pessimista. Vou supor que as cotações e rendas vão pra vala, caindo 10%.


Clique no título para ver o graficozinho maroto que já mata 2 coelhos com uma paulada só.

IBovespa caiu 41% em 2008.

Escolhi apenas um fundo multimercado pra simplificar. O rendimento dele foi 47% do CDI. Considerando os 8% estimados acima, menos 15% de imposto, teríamos 3,2%.


Plano 1: 91% CDI = 6,2%.
Plano 2: -23% CDI = -1,6%.


Jogando cada um como 50% do portfólio, temos um rendimento de -2,3%.

Dólar
Esse artigo da época relembra a alta de 32% na moeda dos EUA. Com aquele crash passei a acompanhar meu patrimônio com um pouco mais atenção: uma vez ao ano :)
Anotações da época escavadas do meu HD:

2007 – 1,77
2008 – 2,34
S&P500: -38.49%


Somando +32% do cambio com -38,49% da bolsa eu teria uma queda de 6,49%.

Ouro
O mesmo artigo linkado acima cita uma alta de 20% em 2008.


Euro
A variação no cambio foi:


2007 – 2,61
2008 – 3,24

Ou seja, +24%.


DAX despencou 40% (olha o tamanho da cacetada no índice da bolsa da Alemanha). Atualmente tenho uns 40% em cash e 60% em ETFs. Resultaria então numa queda de 14,4% na parte Euro da carteira.


Anotei na época que o que eu tinha de investimentos em euro caiu 25% de 2007 a 2008 enquanto meu patrimônio em dólar caiu 13%. Foram tempos negros, meus amigos.

E agora ?



Agora pego essas projeções e aplico na estratégia de alocação de ativos apresentada anteriormente:


Ativo Alocação Alvo Valor Rendimento Resultado Saldo
Tesouro Direto 30% 750.000 -20% -150.000 600.000
LC*, CDB 15% 375.000 6,8% 25.500 400.500
Debêntures 5% 125.000 -20,0% -25.000 100.000
Ações 5% 125.000 -41% -51.250 73.750
FIIs 10% 250.000 -10% -25.000 225.000
EUR 6% 150.000 -14,4% -21.600 128.400
USD 4% 100.000 -6,5% -6.490 93.510
Ouro 5% 125.000 20% 25.000 150.000
Fundos MM 20% 500.000 3,2% 16.000 516.000
Prev Privada
354.000 -2,3% -8.142 345.858
Apto
750.000 -2% -15.000 735.000
SELIC
232.000 6,8% 15.776 247.776








Patrimônio alvo TOTAL 100,00% 3.836.000 -5,74% -220.206 3.615.794
Em Dinheiro
3.086.000 -6,65% -205.206 2.880.794
AA
2.500.000 -8,51% -212.840 2.287.160

Andei fazendo uns ajustes nessa estratégia, mas vou deixar pra comentar num futuro post. Por enquanto deixemos assim. Deixei de fora a reserva imediata, a ser usada no dia-a-dia, equivalente a um ano de despesas.

Enfim, eu teria uma redução de patrimônio de cerca de 6%. É ruim mas não seria o fim do mundo... Como eu sei ? Pego o resultado (2.287.160) e jogo de volta na planilha, no lugar do valor original (2.500.000). Se na aba "Renda passiva por plano" aparecer uma renda mensal que cubra o valor de despesas ali informado, jóia ! Posso continuar a ser vagabundo ! Nesse exemplo dá certo ! :-)


Fica AQUI a planilha pra quem quiser brincar.


E você ? Está preparado para a queda ??




Faltam 104 dias.

PS: vou migrar o blog pra outra plataforma. Não aguento mais essa zona que ele faz com os espaços e tamanho das letras. Recomendações ?

domingo, 3 de fevereiro de 2019

Balanço - Janeiro/2019: um passo decisivo



Salve !


Com a euforia da bolsa neguinho já está até especulando que ela pode chegar a 500 mil pontos nos próximos anos. Será ? Esse vídeo acima pra mim foi a melhor análise. Até guardei, tem coisa ali que eu quero estudar com calma.

Este mês nosso colega Sr. IF365 começa sua jornada sem emprego, vivendo de renda passiva. Virou vagabundo ! Parabéns pela conquista e muito sucesso pra ele !

Do meu lado, além do excelente rendimento da carteira, dei um passo decisivo, o primeiro deles. Joguei a primeira pedra que deve virar uma avalanche de mudanças nos próximos meses: comecei a negociar na empresa pra tirar um sabático. Depois de fazer isso parece que tirei um peso das costas. Me sinto mais confiante pra mandar tudo à merda e virar vagabundo.

Um artigo que me chamou atenção foi um do blog Early Retirement Now, comentando a recente queda no mercado americano. Ele explica que algumas quedas são permanentes, outras vêem uma recuperação nos anos seguintes, seja ela parcial ou total. A queda de 2000 foi permanente, já a de 2008 foi totalmente recuperada.


Vamos aos números de janeiro/2019:
  • FGTS: 0,24% - a mesma merda de sempre
  • Ações: 9,92% -  excelente mas continuo perdendo pro lixo Ibovespa. 
    • Destaques para KLBN3 com 36% de alta; nenhuma das minhas ações caiu.
    • Não consegui entrar em GOVE11 devido à alta
  • FIIs: 1,64% - excelente !
    • Destaque para a gangorra BBFI11B com alta de 15%; do outro lado, HGRE11 caiu 2,8%
    • Me livrei do lixo BRCR11 e estreei nada menos que 5 novos FIIs na carteira: HTMX11 (hotéis), BCRI11 (papel), AEFI11 (educação), FIIB11 (logística) e HGBS11 (shoppings). Vamos ver qual vai vingar !
  • EUR: -3,19% - euro em queda
  • USD: 0,52% - pequena recuperação do tombo do mês passado
  • Stock plan: -2,14% - euro em queda  

Alocação:
Renda FixaRenda VariávelMulti mercado
42%28%30%

Outros ativos:
  • Colchão de segurança (Tesouro SELIC, Fundo DI): 0,48% - beleza
  • Previdência Privada: 1,56% - rentabilidade alta devido a mudança na metodologia. A partir desse ano só considero como aporte o que saiu do meu bolso, a parte da empresa não entra.
Concluindo:
  • Rendimento global da carteira: 1,31% - excelente
  • Taxa de poupança ( (receitas - despesas) / receitas) de acordo com o GuiaBolso: 55%
Todas rentabilidades acima são líquidas, com exceção de previdência privada. Já está descontado IR e taxas para se desfazer dos ativos. Para ativos no exterior considerei um ágio de 5% no câmbio se quisesse trazer tudo pra cá, mais multas e impostos.

Indicadores do mês:
  • CDI: 0,54%
  • IPCA:  0,32%
  • Poupança:  0,37%
Estou feliz por ter superado os 3.

Próximos passos

O app do GuiaBolso está bugado. Não está trazendo várias despesas. Não sei o que fazer se tiver que abandoná-lo. Não tenho tempo pra ficar anotando tudo que gasto no dia-a-dia. Fim de mês já é pesado fazer esse fechamento aqui, imagina ter que puxar extratos de cartões de crédito e contas correntes pra classificar um a um os débitos. Socorro !!!!

Até o carnaval minha idéia é continuar investindo em FIIs. Mesmo com a taxa caindo, Tesouro Direto IPCA 2045 receberá aportes. Não tem muito pra onde correr hoje em dia. Tá tudo caro, tudo no topo.

A avalanche está começando e o blog vai estar bem movimentado nos próximos meses. Fiquem ligados !

Faltam 117 dias.