Pesquisar este blog

quarta-feira, 3 de março de 2021

Balanço - Fevereiro/2021

Assim como eu, esse ano (quase) todo mundo "pulou" o carnaval.

Mas voltando a 2021, no início do mês rolou uma live no Youtube com 3 pesos pesados da Finansfera brazuca. A internet até travou aqui com tanto peso ! Acompanho e participo da comunidade há 4 anos e nunca tinha visto algo assim. Pra mim foi o primeiro encontro FIRE do Brasil.


Há 4 anos, atordoado com a descoberta de que poderia atingir a IF, resolvi iniciar este blog. Há poucos dias cheguei na marca de 100 mil acessos. É bem modesto mas eu realmente não ligo. Só escrevo aqui pra registrar idéias, me desestressar, chorar as pitangas e trocar idéias com a galera.

Tenho tentado entender o lance das criptomoedas. Andei lendo e vendo vários vídeos. Ainda não encontrei as respostas:

- por mais que o minerador tenha gasto uma grana com equipamento e energia elétrica, como pode um punhado de bytes num computador valerem dinheiro só por serem escassos ?
- posso eu fazer um algoritmo, gerar uns bytes, chamá-los de VagaCoin e ficar fico ?
- num cenário onde a impressão desenfreada de dinheiro leve à hiperinflação e o dinheiro tradicional não valha mais nada (vide Venezuela), o cara da padaria vai aceitar pagamento em criptomoeda ou é mais fácil voltarmos a uma economia à base do escambo ?

E vamos ao que interessa.

Desempenho da carteira


Todas rentabilidades abaixo são líquidas, com exceção de previdência privada. Já está descontado IR e taxas para se desfazer dos ativos. Para ativos no exterior considerei um ágio de 5% no câmbio se quisesse trazer tudo pro Brasil, mais multas e impostos.

Tesouro direto (Pré-fixado, IPCA, Selic): -2,3%
Um desastre !

Renda Fixa (CDB, LCx): 0,4%
Beleza

Fundos: 0,1%
Pífio mas foi melhor que eu pensei ! Consegui entrar no badalado fundo Verde 60. Essa carteira está no momento um pouco inchada mas vou encerrar 2 posições aos poucos ao longo do resto do ano, voltando à alocação desejada (25%).

FGTS: 0,25%
De vento em popa rendendo 190% do CDI.

Ações: -8,3%

FIIs: -1,6; DY do mês ficou em 0,67% 
Mês horrível para os FIIs ! Com o aumento dos juros é natural a desvalorização das cotas.

EUR: 2,4%
Disparada do euro

USD: 3,7%
Disparada do dólar


Veja detalhes atualizados sobre a carteira no meu Painel de Controle.

Outros ativos


Colchão de segurança (SELIC, RF): 0,1%
Medíocre.

Derreteu com o mau humor do mercado.

Resultado do mês


Rendimento global da carteira: -0,6% - um desastre; no ano acumula -0,4%
Rendimento real nos últimos 12 meses: 1,95%
Taxa de retirada nos últimos 12 meses: 2,4% - dentro da meta

Indicadores do mês:

CDI: 0,13%; no ano 0,28%
IPCA estimado: 0,48%; acumulando 0,73% no ano
Poupança: 0,12%; no ano 0,23%

Como já passei de 1 ano de vagabundagem posso mostrar a taxa de retirada anual, que é mais fácil de entender e acompanhar. Esta taxa 2,4% é a divisão de todas as despesas dos últimos 12 meses, menos renda passiva (cupons de tesouro, dividendos de FIIs e ações), pelo valor da carteira 1 ano atrás. Ou seja, é retirada mesmo (venda de ativos).

Para 2021 estou planejando uma taxa de retirada por volta de 3,2% ao ano no máximo. Esta taxa foi calculada em cima da carteira do início do ano, já descontando uma estimativa de dividendos a receber. Não considero renda de aluguel nem meu imóvel nessas contas.

Aparentemente teremos mais um ano bastante desafiador no quesito investimentos. Tá pintando um 2020 - parte II. Eu vou dançando conforme a música, com tudo caindo e perdendo pra inflação e até pra poupança por enquanto.

Próximos passos


Vou começar a encerrar posições em alguns fundos e devo reaplicar em TD, ações (ainda nao desisti) e FIIs. Não é fácil ver o patrimônio derreter assim por causa das besteiras que nossos governantes fazem.

Fui !

terça-feira, 16 de fevereiro de 2021

Gastos com saúde


Tema bastante controverso, vira e mexe sendo debatido dentro da comunidade FIRE. Neste post vou explicar o meu racional por detrás do que eu coloquei no meu Orçamento Pós-IF.

Na primeira versão eu peguei valores de planos de saúde de vários conhecidos em diversas idades, interpolei para as idades que eu não sabia e coloquei um generoso aumento a partir dos 60 anos.

Tempos depois descobri que a ANS, o órgão do governo que regula os planos de saúde, publicava todos os anos um monte de estatísticas sobre o valor dos planos por idade, cobertura, estado e até algumas cidades. Venho usando esses números pra minha estimativa. Neste momento estimo que meus gastos mensais serão os seguintes, como um casal com um filho no estado de São Paulo:

IdadeMensalidade
50-531880
54-582093
59-642868
65-693155
70-743470
75-793817
80-844199
85-894619
90-955081
95-1005589

É mais ou menos isso que você ou seus pais estão pagando ? Deixe seu comentário abaixo.

É normal um aumento de 40% a partir dos 59 anos. Isso porque a ANS proibiu aumentos acima da inflação depois dessa idade. Obviamente as empresas tiveram que repassar seus custos de outra forma, e quem paga a conta são os mais jovens. Mesmo assim, depois dos 64 considerei um aumento de 10% a cada 5 anos, sendo que a partir deste ponto não contabilizo mais minha filha - até lá ela já deve estar trabalhando e tendo o plano dela. Pra facilitar trabalho sempre com valores presentes e fico atento ao meu rendimento real, acima da inflação.

Clique aqui para ver o último relatório da ANS.

Isso seria o plano A. Como plano B eu penso em virar MEI ou abrir uma empresa se compensar, para pagar menos. Eu tenho umas idéias de negócio na cabeça e talvez acabe tendo que abrir empresa ou MEI de todo jeito.

Como plano C posso morar em alguma cidade no interior que tenha um bom hospital público. Normalmente onde tem faculdade de medicina estadual ou federal tem. Bom, morar no interior eu sempre quis, não seria nenhum sacrifício.

O mais importante é você ter alguma cobertura. Nada de fazer como o folclórico blogueiro Mr. Money Mustache que passou um bom tempo sem plano de saúde, e isso nos EUA onde os custos seriam exorbitantes caso ele precisasse. Uma verdadeira roleta russa ! Ele dizia que se alimentava bem e fazia exercícios, então não ficaria doente. Essas coisas realmente ajudam mas não te livram de uma doença grave como o câncer ou de sofrer um acidente andando de bicicleta por exemplo.

Vamos se cuidar, galera !

terça-feira, 2 de fevereiro de 2021

Balanço - Janeiro/2021

 

Ano novo, vida velha.

Pandemia que segue.

Sinto que aqui em casa os efeitos do isolamento e falta de vida social decente estão mais presentes. Está ficando angustiante. Chega um momento em que qualquer vacina já serve desde que possamos nos livrar dessas malditas máscaras e ter uma vida mais normal.

Maníaco por planilhas, procurei e achei um jeito de puxar as cotações dos meus fundos e investimentos no exterior pro Google Sheets. Agora tenho 80% por cento da carteira online ! Ficou monstro a planilha. Talvez faça um post mostrando as fórmulas. Agora estou procurando um jeito de pegar o dividend yield. Se alguém souber, conte por favor no comentários.

Sobre o rolo da GameStop, eu me vi com o dedo no gatilho para recomprar IRBR3... Na hora desisti. É muita confusão. Empresa fraudadora de balanços sendo alvo de especulação/manipulação de mercado ? Chuta que é macumba ! Melhor deixar pra lá.

Desempenho da carteira


Todas rentabilidades abaixo são líquidas, com exceção de previdência privada. Já está descontado IR e taxas para se desfazer dos ativos. Para ativos no exterior considerei um ágio de 5% no câmbio se quisesse trazer tudo pro Brasil, mais multas e impostos.

Tesouro direto (Pré-fixado, IPCA, Selic): -1,4%
Derreteu e enterrou a carteira.

Renda Fixa (CDB, LCx): 0,5%
Muito bom ! A partir deste mês os títulos que vencem dentro de 6 meses passam a ser contabilizados no colchão de segurança.

Fundos: -0,7%
Mês horrível !

FGTS: 0,25%
Devagar e sempre.

Ações: -4,1%



FIIs: 1%; DY do mês ficou em 0,7% 
Excelente mês, valorização expressiva e dividendos gordos !

EUR: 5,9%
Alta do Euro

USD: 5,1%
Alta do dólar


Veja detalhes atualizados sobre a carteira no meu Painel de Controle.

Outros ativos


Colchão de segurança (SELIC, RF): 0,2%
A partir deste mês os títulos de renda fixa vencendo em 6 meses passam a formar parte desta carteira.

Derreteu junto com a bolsa

Resultado do mês


Rendimento global da carteira: 0,2% - medíocre
Rendimento real nos últimos 12 meses: 1,8%
Taxa de retirada nos últimos 12 meses: 2,3% - dentro da meta

Indicadores do mês:

CDI: 0,15%
IPCA: 0,25%
Poupança: 0,12%

Como já passei de 1 ano de vagabundagem posso mostrar a taxa de retirada anual, que é mais fácil de entender e acompanhar. Esta taxa 2,3% é a divisão de todas as despesas dos últimos 12 meses, menos renda passiva (cupons de tesouro, dividendos de FIIs e ações), pelo valor da carteira 1 ano atrás. Ou seja, é retirada mesmo (venda de ativos).

Para 2021 estou planejando uma taxa de retirada por volta de 3,2% ao ano no máximo. Esta taxa foi calculada em cima da carteira do início do ano, já descontando uma estimativa de dividendos a receber. Não considero renda de aluguel nem meu imóvel nessas contas.

Foi um mês ruinzinho, onde o rendimento não superou nem a inflação.

Próximos passos


Ando pensando em bitcoin... fiquei louco ?! 

Queria resistir em girar carteira mas tem vários FIIs por aí com qualidade e pagando mais rendimentos que os meus. Acho que vou começar a zerar minha posição em HGBS11, deixando somente o VISC11 como representante dos shoppings. Olho por exemplo para GGRC11 ou HGRE11: baita fundo, bem diversificado, mas o yield...


Também pretendo retomar esse mês meu negócio musical online. Falando em negócio, esse japonês inventou algo sensacional, o trabalho perfeito: fazer nada. Se ele montar uma franquia eu entro !

sábado, 16 de janeiro de 2021

Planos para 2021

Hora de parar um pouco pra pensar pra onde estou indo e onde quero estar. 

Retrospectiva

Vou começar dando uma olhada no retrovisor. Abaixo uma revisão geral dos últimos 4 anos, comparando a rentabilidade dos meus diversos investimentos.



Ativo2017201820192020      TOTAL
RFTD8,1912,5216,265,6942,66

RF19,578,425,84,6938,48

FGTS3,392,745,835,117,06

Colchão
2,677,032,1111,81


RVAções156,5413,18-6,2528,47

DY Ações0,814,082,872,9110,67

TOTAL Ações15,8110,6216,05-3,3439,14

FIIs7,52-0,5128,27-13,3121,97

DY FIIs6,869,596,478,3731,29

TOTAL FIIs14,389,0834,74-4,9453,26

USD13,089,3828,5549,81100,82

EUR11,011,939,7235,6958,35


MistoFundos9,719,5810,15,935,29

Prev Privada8,856,799,722,9628,32

As tendencias que vejo:
1 - RF caindo ano a ano
2 - RV apesar da volatilidade deve superar a renda fixa nos próximos anos; FIIs já o fizeram
3 - Investimentos no exterior salvaram a pátria
4 - Fundos apesar do maldito come-cotas tem tido rendimento decente sem que eu tenha que esquentar a cabeça

Nestes 4 anos 36% do patrimônio acumulado foram aportes, enquanto 64% foram rendimentos.

Investimentos


Atualmente tenho 19% em Ações e FIIs. Só vou vender pra tentar simplificar a carteira, deixando-a crescer até uns 21% em princípio. Consequentemente haverá uma diminuição da participação em RF.

Estou querendo estudar a estratégia de venda coberta de ações pra tentar melhorar a rentabilidade sem correr muito risco.

Em março vence uma cacetada de Tesouro SELIC e não vou reaplicar. Na hora H devo espalhar em TD IPCA, CDBs, renda variável e sei lá mais o que. Tem o ETF de renda fixa também. Até lá vou continuar aportando quaisquer proventos em FIIs, especialmente RBRF11 e BPFF11, e em ETFs no exterior.

Gostaria muito de gastar menos tempo administrando meus investimentos. Tenho que me controlar porque vira e mexe caem uns dividendos e eu já fico louco pra não deixar parado. Vou estar de olho em todo tipo de ETF, Fundo de FIIs e multimercados. Daqui uns dias é hora de declarar IR e outra vez é aquela encheção de saco preenchendo dezenas de ativos. Ter poucos ativos que sejam diversificados vai me fazer dormir melhor e aproveitar mais a vida. Estou cogitando botar uma meta de diminuir um ativo por mês pelo menos.

Despesas


Tenho pronto meu orçamento para 2021. Recalculei minha TNRP, que subiu de 3,03% para 3,36%. Consequência do fraco desempenho de 2020 aliado a um aumento de despesas causado pela desvalorização do real e mudança para um apartamento mais caro. O primeiro não estava nos planos, já o segundo foi decisão minha e não me arrependo pois fez diferença no dia a dia.

Outra métrica interessante é a taxa de retirada (não confundir com TSR). Para 2020 eu havia calculado em 2,6% e agora vai subir para 3,1%, pelos mesmos motivos que a TNRP subiu. Esta taxa é retirada mesmo (venda de ativos), calculada somente sobre meus investimentos financeiros (imóvel fica de fora). Supondo que eu não ganhasse nada de dividendos e tivesse que me sustentar somente com venda de ativos, esta taxa seria 4,2%. É o máximo que eu aguento sem ter que tocar no principal do investimento.

Dá pra perceber como a coisa piorou. Com um patrimônio praticamente igual ao do ano anterior (subiu só 1%) vou precisar fazer retiradas maiores.

Renda


Provavelmente vou terminar meu sabático. Estou apalavrado com uma empresa mas eles tem que resolver umas burocracias antes de me contratar. Não assinei nada ainda então no fim tudo pode mudar. Mas seria bacana porque no fim das contas eu não tenho mesmo tempo pra fazer tudo que quero, então agora prefiro usá-lo para ganhar algum dinheiro. Depois de 600 dias fora do mercado eu realmente me sinto novo e aberto pra encarar outra vez reuniões, projetos, chefes e clientes sem noção, pelos menos por algum tempo. Um dinheirinho pra solidificar o próximo sabático. Esse negócio de ser vagabundo é tão bom que quero fazer de novo. Vou fingir que visto a camisa e trabalhar uns 2 anos pra chutar o balde outra vez.

Ainda sobre ganhar dinheiro, vou tentar parar de ler sobre o assunto e finalmente lançar alguns negócios na internet. Já tenho um meio adiantando, relacionado com música, que será o primeiro. Em seguida vou tentar algo com Merch by Amazon. E assim por diante, vou experimentando um de cada vez.

Conclusão


2020 nos mostrou que a vida é o que acontece enquanto a gente faz planos. Quem poderia imaginar há um ano atrás que estaríamos desse jeito. Mas enfim, dadas as atuais condições, fica registrado o que eu imagino para 2021.

E vocês leitores, estão se planejando ou vão deixar a vida levá-los pra onde ela quiser ?


quarta-feira, 6 de janeiro de 2021

Balanço - Dezembro/2020


Acabou !

Foi um ano implacável que não deixa saudades. Gente do meu círculo social perdeu dinheiro, emprego, entes queridos e até a própria vida.

Eu engordei 3 quilos com a quarentena. Não dá pra ficar correndo por aí de máscara. Começaram a vacinar mas ainda temos um longo caminho... Eu tenho alguns amigos super encanados já falando que vacina nenhuma é 100%, que portanto esse pesadelo vai durar ainda mais. Uma hora vamos ter que dar uma de louco e simplesmente conviver com o problema, porque no longo prazo esse isolamento não tem como ser mantido. As pessoas querem viver, sair, se abraçar, se socializar.

Desempenho da carteira


Todas rentabilidades abaixo são líquidas, com exceção de previdência privada. Já está descontado IR e taxas para se desfazer dos ativos. Para ativos no exterior considerei um ágio de 5% no câmbio se quisesse trazer tudo pro Brasil, mais multas e impostos.

Tesouro direto (Pré-fixado, IPCA, Selic): 5,7%
Meus títulos tiveram valorização recorde !

Renda Fixa (CDB, LCx): 0,5%
Ótimo !

Fundos: 4,3%
Mês excepcional ! Fiz uns rebalanceamentos pra equilibrar a carteira e espero que vá pra frente !

FGTS: 0,25%
Devagar e sempre.

Ações: 7,4%
Subiu bem ! Zerei IRBR3 pra nunca mais e joguei mais um pouquinho pra DIVO11. ODPV3 subiu 18% enquanto HGTX3 caiu 4,5%

FIIs: 0,8%; DY do mês ficou em 0,58% 
Entrei nas subscrições do GGRC11, RBED11 e BCRI11. Entrei nos FoFs BPFF11 e RBRF11. Vamos ver se vinga.

EUR: 0,4%
Muito bom !

USD: 0,8%
Excelente !


Veja detalhes atualizados sobre a carteira no meu Painel de Controle.

Outros ativos


Colchão de segurança: 0,26%
Não sei como foi tão bem !

Bombou !

Resultado do mês


Rendimento global da carteira: 2,8% - Excelente ! Fechando o ano com 6%
Rendimento real nos últimos 12 meses: 1,6%
Taxa de retirada nos últimos 12 meses: 2,4% - dentro da meta

Indicadores do mês:

CDI: 0,16%; no ano 2,77%
IPCA: 1,35%; no ano fechou em 4,52%
Poupança: 0,12%; no ano 2,11%

Como já passei de 1 ano de vagabundagem posso mostrar a taxa de retirada anual, que é mais fácil de entender e acompanhar. Esta taxa 2,4% é a divisão de todas as despesas dos últimos 12 meses, menos renda passiva (cupons de tesouro, dividendos de FIIs e ações), pelo valor da carteira 1 ano atrás. Ou seja, é retirada mesmo (venda de ativos).

Para 2020 eu estava planejando uma taxa de retirada por volta de 2,6% ao ano no máximo. Esta taxa foi calculada em cima da carteira do início do ano, já descontando uma estimativa de dividendos a receber. Não considero renda de aluguel nem meu imóvel nessas contas.

Resumão do ano


Encerro esse ano tão difícil com o patrimônio em seu topo histórico. Desde quando chutei o balde o patrimônio cresceu 4,5%, sendo 1% em 2020. Aos trancos e barrancos a carteira superou a inflação que vem galopando nos últimos meses. E mais um ano onde minha carteira de ações com excelentes empresas não conseguiu superar um índice onde metade das empresas estão quebradas ou nas mãos de políticos ou empresários corruptos.

Melhores investimentos do ano: USD 49,8%, EUR 35,7%, Tesouro Direto 5,7%
Piores investimentos do ano: FIIs -4,9%, Ações -3,3%, RF 4,7%

Despesas foram pagas com os seguintes recursos:
    • Dividendos de FIIs: 27%
    • Dividendos de Ações: 4%
    • Cupons do Tesouro Direto: 2%
    • Aluguel: 26%
    • Rendas não-recorrentes (diferença de rescisão e restituição de IR): 33%
Os 8% restantes, não cobertos por esses recursos, resultaram numa taxa efetiva de retirada de 0,15% sobre todo o patrimônio (imóvel + investimentos).

Se por uma lado as despesas aumentaram, por outro elas diminuíram à força por causa dos sucessivos confinamentos e restrições à mobilidade.

Próximos passos


Não vou detalhar aqui pro post não ficar muito longo. Explico com mais calma nos próximos dias. No curto prazo a carteira está bem equilibrada, demandando poucos ajustes.

Que todos tenhamos um ano novo com muito sucesso, saúde e liberdade !