Pesquisar este blog

domingo, 4 de novembro de 2018

Balanço - Outubro/2018


Bem, amigos, que mês maluco ! Eleições polarizadas, bolsa subindo, dólar caindo e no geral minha carteira segue no passo da tartaruga. Devagar e sempre. Sim, consegui recuperar um pouco na parte de bolsa e FIIs mas a queda do dólar e das bolsas lá fora enterraram minha rentabilidade. 

Vejamos:
  • FGTS: 0,24% - sem comentários
  • Ações: 7,86% - excelente, melhor rendimento que eu já tive
  • FIIs: 2,12% - excelente, ainda com DY por volta de 0,69%
  • EUR: -14% - desastre
  • USD: -12% - massacre
  • Stock plan: -19% - pacote completo: compra no topo, queda de ação e do euro

Alocação:

Renda FixaRenda VariávelMulti mercado
42,1%28,1%29,8%

Outros ativos:
  • Colchão de segurança (Tesouro SELIC, Fundo DI): 0,51%
Concluindo:
  • Rendimento global da carteira: 0,29% - medíocre; no ano 6,36%
  • Taxa de poupança ( (receitas - despesas) / receitas) de acordo com o GuiaBolso: 32%
Todas rentabilidades acima são líquidas, com exceção de previdência privada. Já está descontado IR e taxas para se desfazer dos ativos. Para ativos no exterior considerei um ágio de 5% no câmbio se quisesse trazer tudo pra cá, mais multas e impostos.

Fazendo uma simulação, vejo que se o câmbio tivesse permanecido estável eu teria fechado com um rendimento global de 1,20%. Paciência.

Indicadores do mês:
  • CDI: 0,54% - tomei uma surra; acumulado 5,41% no ano
  • IPCA: 0,55% - apanhei feio; no ano acumula 3,91%
  • Poupança: 0,37%; no ano acumula 3,85%

Próximos aportes devem ser no arroz com feijão: Tesouro SELIC.

Não vamos desanimar, gente. Sempre ter em mente que você não deve encarar a buscar da IF como uma fuga de um emprego chato e sim como uma caminhada em direção à uma vida mais livre, equilibrada e alinhada a seus interesses.

Faltam 208 dias.

Nenhum comentário:

Postar um comentário