Pesquisar este blog

segunda-feira, 4 de novembro de 2019

Balanço - Outubro/2019


Mês passou devagar. Continuo minha rotina de exercícios, música, estudos, cuidar da minha filha, da casa e das finanças da família. Tudo muito organizado e bem pensado. Às vezes termina o dia e eu fico pensando como vou fazer se algum dia eu quiser ter um emprego de novo. Onde vou arrumar tempo pra isso ?... Não sei do que abriria mão. Talvez arrumasse uma empregada, sei lá.

Este mês consegui avançar consistentemente no campo da leitura. Terminei de ler "Foi apenas um sonho" (Revolutionary Road, título original) e em paralelo comecei um outro sobre a Segunda Guerra Mundial. Não tenho o nome exato agora, acabei devolvendo pra biblioteca pra me concentrar em terminar o livro anterior.

Rentabilidade do quarto mês sem contra-cheque:

Tesouro direto (Pré-fixado, IPCA, Selic): 3,88% - bombou !!

Renda Fixa (CDB, LCx):  0,44% - mais que isso não vai

Fundos:  1,35% - excelente

FGTS: 0,25% - sem comentários... 

Ações: -0,95% - vendi GRND3, subiu; comprei HGTX3, caiu... :-/

FIIs:  1,68% - excelente; DY do mês ficou em 0,59%  

EUR:  -1,44% - leve queda do euro

USD:  -1,32% - leve queda do dólar

Stock plan: 18,2% - alta expressiva da ação


Alocação atual:

Renda fixa - 44%
Renda variável - 30%
Multimercado - 26%

Outros ativos:

Colchão de segurança (Tesouro SELIC, Fundo DI): 0,37% - tá bom, mais que isso não vai

Previdência Privada:  0,95% - ótimo

Concluindo:

Rendimento global da carteira: 1,42% - excelente ! No ano acumulo já 11,4%
Rendimento global da carteira, líquido de inflação: 1,34%
Taxa de retirada:  0,04% - quase nada

Nesse momento estou planejando uma taxa anual de retirada por volta de 3,1% ao ano no máximo, o que daria uma retirada mensal de 0,26%. A taxa de retirada é calculada em cima da carteira do mês anterior, já descontando dividendos e aluguel recebidos neste mês. Ou seja é retirada mesmo (venda de ativos).

Todas rentabilidades acima são líquidas, com exceção de previdência privada. Já está descontado IR e taxas para se desfazer dos ativos. Para ativos no exterior considerei um ágio de 5% no câmbio se quisesse trazer tudo pro Brasil, mais multas e impostos.

Indicadores do mês:

CDI:  0,48%; no ano acumula 5,17%
IPCA: 0,08%; no ano seriam 2,64%
Poupança: 0,32%; no ano 3,66%

O IPCA oficial só sai dia 07/11. Se eu lembrar volto aqui e corrijo se for o caso.

Próximos passos



Os juros não param de cair e no entanto minhas ações continuam patinando. Quando é que eu vou poder mamar nessa teta um pouco ? A ordem é continuar migrando pra ETF.

HTMX11 enfim abriu subscrição e vou aproveitar pra aumentar posição. Fiz o mesmo com o BCRI11. Aliás, todo mês tá rolando subscrição. A festa dos FIIs parece que não tem hora pra acabar !

Em novembro vence mais um CDB e com a morte da renda fixa não sei onde vou enfiar essa grana. Ou seja, vai pro colchão de segurança e ficará lá à espera de alguma oportunidade. Alguma declaração do Bozo, do Trump, do Paulo Guedes... do novo presidente da Argentina, sei lá ! Às vezes acho que eles fazem isso de propósito pra ganhar dinheiro no mercado financeiro.

Vamo que vamo.

2 comentários: